Anônimo

Coluna do Anônimo

Veja todas as colunas

Espelho em campo

Não se intimidem por representantes de bastidores. Agora, nesta quinta-feira, 11 de julho de 2019, o que importa e o que melhor tem de Cruzeiro e Atlético estará em campo no Mineirão.

11/07/2019 às 08:58

Amigos, há uma semana o Mineirão recebeu um Brasil x Argentina e, o próximo jogo a sediar será um Cruzeiro e Atlético. Para nós mineiros não há duelos mais importantes no mundo do futebol que esses dois. Saímos todos vitoriosos no jogo passado, e agora nos dividimos entre as equipes estaduais. 

Pois bem. E de tudo o que temos que pegar do clássico da Copa América para o clássico da Copa do Brasil é a boa rivalidade das arquibancadas. Como foi lindo ver brasileiros e argentinos gritando alma afora seu patriotismo, como se ali, naquele gramado do Gigante, a terra tomasse forma. 

E vamos e venhamos que chegamos à competição continental desacreditados. E o mais incrível disso: desacreditados por nós mesmos. Não queríamos a Copa América aqui, não torcíamos pela seleção, não dávamos nosso crédito aos vestidos de verde-amarelo. E ainda assim, quando a bola rolou, gritamos do show de abertura ao levantar da taça de campeão.  

É fato que somos a ‘Pátria em Chuteiras’, Nelson Rodrigues já dizia isso há tempos. E só ele mesmo pode ir além: “Há uma relação nítida e taxativa entre a torcida e a seleção. Um péssimo torcedor corresponde a um péssimo jogador. De resto, convém notar o seguinte: — o escrete brasileiro implica todos nós e cada um de nós. Afinal, ele traduz uma projeção de nossos defeitos e de nossas qualidades”.

O que isso tem a ver com o nosso foco atual, que é o duelo entre Cruzeiro e Atlético, pelas quartas de final da Copa do Brasil? Tudo, oras! Em suas devidas proporções, os clubes chegam desacreditados: um com a diretoria que deixou as páginas esportivas para as policiais e outro que parece desligado - que não tem comparecido como o torcedor queria: reforçando a equipe e dando satisfações sobre as escolhas. 

E se ‘clássico é classico’, que não tem favoritismo, que não tenha também pessimismo. Que as duas equipes deem a raça e o sangue num jogo que não é institucional. Cruzeiro e Atlético têm torcidas gigantescas que vão de Belo Horizonte ao Japão. E são elas que importam. E são as torcidas que têm as características a se assemelhar. 

Não se intimidem por representantes de bastidores. Agora, nesta quinta-feira, 11 de julho de 2019, o que importa e o que melhor tem de Cruzeiro e Atlético estará em campo no Mineirão. Que lá estejamos todos nós, novamente, de chuteiras, meiões e raça.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link