Precon - Maxiboard - Internas

Notícias

Obras de reconstrução de Bento Rodrigues mantêm rotina difícil após tragédia

Por Redação, 05/11/2018 às 10:40
atualizado em: 19/11/2018 às 17:00

Texto:

Você já se imaginou ficar sem casa por três anos? Longe dos seus objetos, pertences, plantas e vizinhos? Essa é a realidade para 225 famílias que residiam em Bento Rodrigues e de outras 140 famílias que moravam em Paracatu de Baixo, duas comunidades completamente destruídas pelo rompimento da Barragem de Fundão. A Itatiaia esteve nos últimos dias na cidade e ouviu dos atingidos que essa situação que se prolonga é uma tragédia a mais, uma tragédia diária. São três anos, 1095 dias após o fatídico 5 de novembro de 2015.

Iniciamos essa série de reportagens com o reassentamento das comunidades atingidas em Mariana. No ano passado, o repórter João Felipe Lolli esteve no terreno onde será construída a nova Bento Rodrigues. O local era só mato. Um ano depois, a situação é outra. O terreno localizado a cinco quilômetros do Centro de Mariana é um canteiro obras. São 450 operários trabalhando na supressão de árvores e no terraplenagem. No auge das obras, que terminam entre junho e agosto de 2020, serão 2.200 operários.

Muitos moradores de Bento vêm visitar, cotidianamente, as obras. Na visão deles, os trabalhos estão lentas. Em Paracatu de Baixo, a situação é ainda mais demorada. O reassentamento vai abrigar 140 famílias, e as obras sequer começaram. Ficar fora de casa, longe do convívio em comunidade, é um fardo muito grande pra esses mineiros e mineiras, marianenses do interior.

Nesta segunda-feira um grupo de atingidos faz um ato em Londres, na capital do Reino Unido. O grupo pretende faz a mobilização em frente ao escritório da australiana BHP Biliton, mineradora que, ao lado da brasileira Vale, é uma das controladoras da Samarco. Outros atos estão marcados pelo coletivo A Sirene, pelo Movimento dos Atingidos por Barragens e pelos próprios atingidos nas comunidades que mais sofreram com a tragédia, nas cidades de Mariana e Barra Longa.

OUÇA A REPORTAGEM COMPLETA COM JOÃO FELIPE LOLLI!

Leia também:

Mil dias depois, mil tragédias diárias: série da Itatiaia mostra como estão os atingidos

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    Kalil cria decreto de emergência para a Vilarinho e prevê início das obras para julho do ano que vem:… https://t.co/9TxzT4ZZ2x

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Um dos principais pontos do projeto é o chamado potencial construtivo, que é o direito de se construir acima da metragem original do lote. Ouça a reportagem 👇👇

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    ⚽️ Goleiro alvinegro ressaltou a necessidade de vencer no Beira-Rio para se distanciar do Atlético-PR

    Acessar Link